Encontros

da Rede Brasileira de Teatro de Rua

Por que o encontro?

(Re)encontro. Reconhecer –(se) no outro.

De norte a sul do país, duas vezes por ano, centenas de “Teatreiros de rua” unem esforços para se encontrar.  Cada vez, um estado se compromete em sediar  as reuniões e ações do evento que tem objetivo agir em prol da democratização do acesso a produção cultural. Em prol dos artistas e do público. Por uma arte livre, que reflita um povo e seu tempo, que possa amplificar as inquietudes de um território. 

Arte que é riso, e também protesto. Que ocupa em ato festivo e politico as ruas, praças, becos e favelas em todos os cantos das cidades. Que tem em seu público, seu protagonista. Uma arte que com suas cores, sons, poética…contribui para a transformação.

Para dar voz a essa pluralidade presente na rede, fomos perguntar a alguns articuladores:

– Afinal,  qual a importância deste encontro?

Vanessia Gomes
Teatro de Caretas- CE

O encontro em si, muito mais do que entender as politicas dos locais, entender quais são as atividades que os grupos estão fazendo, tem esse fortalecimento entre nós , por a gente trabalha antes de tudo o afeto, e isso nos dá fôlego para atravessar as questões politicas e as dificuldades dos próprios grupos.

Fernando Cruz
Teatro Imaginário Maracangalha- Mato Grosso do Sul

Pro meu Grupo, o encontro é um divisor de águas. Porque nos fazíamos teatro no Mato Grosso do Sul isolados do país e fazer teatro de rua dentro da nossa Cidade, por si só, era um enfrentamento. Aí quando descobrimos a rede, encontramos pessoas que fazem a mesma coisa pelo país. E acho que esse é um diferencial na rede: fazer politica e arte com afeto. A gente se reconhece como pares, o que cria um respaldo pra viver. Podemos nos considerar privilegiados neste mundo por viver com amores, com utopias.”

Hamilton Leite
Oigalê- Rio Grande do Sul

Nos últimos anos de governo, muito pouca coisa se fez pela questão do teatro de rua, pela arte pública... Então eu acho que é um momento crucial de a arte tomar as ruas, não se esconder... Não é que a gente seja contra o teatro em espaço fechado, mas que exista também uma produção que vá de encontro com a população que está na rua, nos parques, nas vilas ...então essa atividade e essa conversa da rede é muito importante por promover o dialogo entre os grupos que estão fazendo isto pelo país

Romualdo Freitas
Rio Branco/Acre

Contrapor-nos aos desencontros. Há desencontros que já estão estabelecidos socialmente O encontro é onde a gente vai percebendo o que nos une em comum. Quais são as bandeiras que a gente pode levantar juntos. A constância de estar nos encontros me faz entender que não existe mais diferença entre articular e representar. O que está me fazendo gostar mais dos encontros é que a gente tem começado a discutir mais o afeto, a ação, a prática e deixando a coisa da politica para ser nossa bandeira de enfrentamento. Eu vou enfrentar com a politica, mas eu vou me encontrar para amar, para sentir saudades das pessoas.

Cicero Almeida
Teatro União e Olho Vivo- São Paulo/SP

O encontro é um momento importantíssimo, uma troca de experiência politica, e uma tomada de posicionamento do que naquele momento se pede para cultura. Claro que isso é movido a muita discussão, é movido ao tempo também...nem tudo que você planeja hoje vai ser resolvido amanhã...então esse mecanismo da rede ele é fomentado por essas ideias, que são colocadas na roda, discutidas... A rede fortalece o grupo no seu problema local e ao mesmo tempo a soma entre os grupos fortalece de forma a mexer na estrutura de politica para cultura no país.